Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 1, 2017

Fraudes controladas

Imagem
Uma "fraude controlada" é um tipo de experimento psicológico/metodológico/social: trata-se da produção deliberada de eventos ou resultados falsos, com o objetivo de testar a resiliência e a confiabilidade de uma metodologia científica, de um processo cognitivo ou de comunicação.

Ela se distingue da fraude pura e simples porque, enquanto esta última é construída de modo a circum-navegar os mecanismos humanos (senso crítico, bom-senso) e institucionais (revisão, crítica dos pares, controles) de checagem e alerta, a fraude controlada é criada com uma série de características salientes para excitar os mesmos mecanismos -- desde que, é claro, eles estejam funcionando adequadamente, ou haja uma intenção honesta de usá-los.

Nos últimos tempos, fraudes controladas passaram a ser um meio relativamente comum usado para revelar fragilidades no processo de comunicação científica -- seja a comunicação entre pares, por meio de periódicos especializados, seja a comunicação com o público, …

Assassinatos em massa: a ciência

Publicada em 2014 pela editora acadêmica John Wiley & Sons, The Encyclopedia of Criminology and Criminal Justice traz um verbete de duas páginas e meia sobre "Mass Murders", isto é, "assassinatos em massa". Ali aprendemos que o termo é aplicado cientificamente "à matança, não-sancionada pelo Estado, de pelo menos três vítimas durante um único episódio", é às vezes considerado um sinônimo de "massacre" e se distingue de outros fenômenos de violência de vítimas múltiplas, como guerras, linchamentos, assassinatos em série e genocídios por uma série de características.

Entre elas, estão fatos como o de que o assassino em massa "tem alta probabilidade de conhecer pessoalmente as vítimas, utiliza armas de fogo e vê seus atos como um 'gesto definitivo de revolta', sem a intenção de realizar matanças futuras". Além disso, o assassino em massa tem uma chance muito maior do que outros tipos de criminoso de terminar seu crime cometend…