Postagens

Mostrando postagens de Março 23, 2014

A Ascensão de Cthulhu: começa 2014

Imagem
Será lançado em meados de abril, na Odisseia de Literatura Fantástica de Porto Alegre,  o volume de contos A Ascensão de Cthulhu, da Argonautas Editora -- livro que traz um conto de minha autoria, e representa o pontapé inicial da série de lançamentos contendo escritos meus que deve ocorrer, salvo alguma intervenção dos Grandes Antigos, ao longo do ano.

Cthulhu é, claro, o Grande Cthulhu, a entidade alienígena-extradimensional que reside em animação suspensa sob o Oceano Pacífico, e cujo despertar marcará o fim da história humana sobre a Terra -- ou, ao menos, é o que se depreende do conto The Call of Cthulhu, de H.P. Lovecraft. O livro da Argonautas é uma coletânea de contos de inspiração lovecraftiana.

Minha relação com a obra de Lovecraft passou, como se costuma dizer, por fases. Esse autor foi uma das principais influências de minha primeira década como ficcionista publicado -- digamos, de 1992 a 2002.

Gostava muito, como ainda gosto, da forma como estruturava suas narrativas, e …

O que aprendi sobre a ditadura

Nas últimas semanas, entrevistei uma série de professores da Unicamp sobre a ditadura de 64-85 e seu legado. Foram horas de conversa com historiadores, cientistas sociais, críticos de arte e de literatura. O resultado aparece na edição de 1º de abril (pois é) do Jornal da Unicamp, e se me permitem dizer, representa uma das coisas mais relevantes que já fiz em quase 25 anos de jornalismo.

As avaliações que coletei foram bem nuançadas, com alguns méritos reconhecidos (expansão do ensino público, modernização da economia), alguns bichos-papões redimensionados (a censura pegava mais no pé da música brega que da música de protesto, o regime foi amicíssimo do cinema nacional). Tudo isso, coisa que dá para discutir ad eternum. Mas o que sempre ficou claro, em todas as conversas, em todos os balanços, foi um dado só, constante: essa porra foi uma ditadura.

Não há méritos, não há conquistas, que "relativizem" isso. E esta talvez seja a faceta mais difícil de capturar e transmitir: o …