Postagens

Mostrando postagens de Maio 8, 2011

E agora, para uma previsão científica do fim do mundo...

Imagem
Todo mundo deve estar, suponho, cansado de ouvir a respeito da previsão de que o mundo acabará em 21 de maio, daqui a umas duas semanas (minha mulher até me trouxe um panfleto a respeito, que recebeu de alguém na Praça da Sé). Para variar um pouco, resolvi ressuscitar aqui uma previsão de Juízo Final publicada, nada mais e nada menos, na revista Science , lá se vão 50 anos: 13de novembro de 2026: O PDF original pode ser encontrado aqui . O trabalho, uma bela peça de raciocínio lógico empreendida pelo trio de autores, começa distinguindo entre dois tipos de população -- um, o mais natural, que é limitado pela natureza; nesse caso, o aumento da população acaba gerando escassez de recursos, aumento da competição por alimento e parceiros sexuais e, no fim, acaba sendo auto-limitante. O segundo tipo é formado por indivíduos capazes de cooperar ou, nas palavras dos autores, de, em vez de lutar entre si pelo acesso à natureza, desenvolver estratégias comuns para lutar contra a naturez

No espaço, ninguém pode ouvir sua galáxia gritar

Imagem
Imagine um vento forte o bastante para desbastar todo o solo de uma região, deixando para trás apenas o leito rochoso estéril. O Observatório Espacial Herschel, da Agência Espacial Europeia (ESA), encontrou uma tempestade semelhante no espaço, e em escala galáctica: fluxps de moléculas deslocando-se a mais de 100 km por segundo, a partir no núcleo de galáxias em processo de fusão. De acordo com nota divulgada pela ESA, esses vemntos são intensos o bastante para eliminar todo o suprimento de gás e poeira, levando à interrupção dos processos de formação de estrelas e de crescimento do buraco negro central de cada galáxia. Como a pressão responsável pelos ventos é gerada, exatamente, pela explosão de estrelas e pelo crescimento do buraco negro, o processo todo opera como um ciclo de feedback, onde a atividade galáctica intensa contribui parao próprio fim. A imagem acima é uma ilustração dos fluxos de gás e poeira partindo de uma galáxia.

Vamos tirar uma comissão para analisar a sua proposta...

Imagem
Sabe a velha piada sobre como a melhor forma de impedir que um problema seja resolvido é marcar uma reunião e montar uma comissão? Pois é, não é uma piada. É um fato científico. E nem se trata de um fato novo, na verdade: sua primeira demonstração ocorreu na década de 1880, quando o engenheiro francês Max Ringelmann mediu o esforço feito por trabalhadores que tinham de puxar cordas para erguer pesos. O resultado, descrito no livro 59 Seconds , do psicólogo Richrad Wiseman, foi o seguinte: puxando a corda sozinho, cada trabalhador erguia, em média, 90 quilos; puxando a corda em grupo, o peso médio sustentado individualmente caiu para 70 kg. Wiseman compara esse efeito de "vadiagem coletiva" à difusão de responsabilidade que comumente afeta multidões: outras pesquisas já demonstraram que, se uma pessoa está sozinha um ambiente onde uma emergência tem início -- um incêndio, um ataque epilético -- esse indivíduo solitário se apressa em fazer o melhor possível para contornar

Da faixa de pedestres ao homem-bomba

Imagem
Uma pequena joia psicológica é a reportagem desta segunda-feira, no Estadão, sobre o comportamento dos motoristas de São Paulo em relação às faixas de pedestres. O título já dá uma boa ideia do que se vai encontrar no texto:  89% dos paulistanos desrespeitam faixa de pedestre. Mas acreditam estar certos . O assunto prossegue em outro texto da mesma edição, 4 em cada 10 temem batida se pararem na faixa , cujo teor me fez lembrar de um conceito de psicologia social que encontrei pela primeira vez lendo The Psychology of Terrorism , de John Horgan: o erro fundamental de atribuição. Basicamente, esse é um viés psicológico que tende a levar as pessoas a atribuir seus próprios erros às circunstâncias, e os erros dos outros a defeitos pessoais deles. Em outras palavras: quando eu tropeço, é porque as calçadas são mal conservadas; já quando vejo outra pessoa tropeçando, é porque ela é uma desajeitada que não olha por onde anda. O "erro fundamental", diz Hogan, ocorre dos dois

O pai perfeito

Imagem
Em homenagem ao Dia das Mães, ofereço, como presente, o pai perfeito para constituir família e ter filhos:

O pai perfeito

Imagem
Em homenagem ao Dia das Mães, ofereço, como presente, o pai perfeito para constituir família e ter filhos: