sábado, 23 de maio de 2015

A biblioteca de Bin Laden

Já tem gente nas redes sociais tirando onda com o fato de que dois livros de Noam Chomsky foram encontrados nabiblioteca pessoal de Osama Bin Laden, mas devagar com o andor: como todo fã de heavy metal, histórias em quadrinhos e role-playing games sabe, a associação entre ícones e hábitos culturais e o comportamento de seus fãs psicóticos é geralmente injusta, frequentemente penosa e, quase sempre, só vale para o “outro”. Um leitor habitual de Chomsky pode achar um absurdo óbvio que se veja na retórica do autor um estímulo ao terrorismo islâmico, mas talvez não relute tanto em fazer ilações a respeito da presença de um livro de Reinaldo Azevedo na estante de algum pitboy espancador de homossexuais. Leia o artigo completo na Revista Amálgama.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Ceticismo, em três princípios simples

Edição recente da revista Skeptical Inquirer, talvez a mais antiga publicação sobre ceticismo em circulação no mundo, traz um artigo do professor de Filosofia Stephen Carey com o seguinte título: “Yes, but how do you explain this?” (“Tá legal, mas como é que você explica isso?”). Carey relata como encontrou uma espécie de “resposta padrão” para essa indagação, em três partes. São elas: seu caso não é especial; o que você vê não é toda a verdade; tudo funciona. Leia mais sobre isso no Olhar Cético.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Redução científica da pobreza

Como medir a eficácia de uma ação de redução da pobreza? A revista Science traz artigo que descreve o resultado de um experimento de intervenção em algumas das comunidades mais miseráveis do mundo, modelado nos estudos sobre saúde, em que grupos “de intervenção” são comparados a grupos “de controle”, e os resultados recebem análise estatística. No caso, algumas das famílias mais pobres de seis países – Etiópia, Gana, Honduras, Índia, Paquistão e Peru – foram incluídas num programa chamado “Graduation” (“Formatura”), criado por uma ONG de Bangladesh. O programa durou dois anos, com mais um ano extra em que as famílias foram acompanhadas, após o fim do apoio externo, para testar a sustentabilidade e durabilidade dos benefícios. Leia mais na coluna Telescópio.