Resenha de uma história da cientologia

"A imagem dos profetas fundadores de religiões parece melhorar com a distância. Zoroastro e Moisés são quase universalmente reverenciados como grandes sábios; Jesus e Maomé, que chegaram mais tarde, têm lá seus críticos ferozes, mas no geral comandam amplo respeito – em certas partes do mundo, de fato, é crime falar mal dessas augustas personagens. Já Joseph Smith, que fundou o mormonismo no século 19, não é levado a sério por ninguém de fora de sua igreja..." Assim começa minha resenha do livro "A Prisão da Fé", uma história da Igreja da Cientologia, publicada no site Amálgama.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência