Falando sobre "O Rei de Amarelo" e adjacências

Na última sexta-feira, a Editora Intrínseca publicou em seu blog oficial uma entrevista comigo, sobre o trabalho de produzir as notas de rodapé para a edição brasileira de O Rei de Amarelo. Além de falar sobre o processo de elaborar as anotações, dei também uns pitacos sobre a relação entre "alta" literatura e literatura fantástica, entre literatura gótica e pulp fiction e sobre se esse negócio de um livro ser horrível demais para ser lido realmente faz sentido. A íntegra da conversa está neste link.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Satanistas e pastafarianos, uni-vos!

A maldição de Noé, a África e os negros

"Cura Gay" é o "Design Inteligente" da saúde mental