Diversidade, igualdade, intolerância

“Universalismo e Diversidade”, mais recente livro do pesquisador e docente Renato Ortiz, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, propõe uma discussão crítica da emergência da diversidade como novo valor universal. “Transformar a diversidade num valor universal é um oximoro. Mas isso é interessante, revela uma tensão que caracteriza o mundo em que vivemos”, disse Ortiz. O pesquisador lembra que a crítica do velho universalismo dos iluministas, e do mal realizado em seu nome — do imperialismo, do colonialismo, do racismo — já foi feita, mas que a diversidade ainda não foi pensada de forma crítica. “Ninguém diria: ‘Sou contra a diversidade’”, exemplificou. “Veja, não estou defendendo o ponto de vista contrário a ela. A questão é: se você não pode sequer formular a pergunta, é porque o termo já se encontra positivado, a ponto de não se perceber mais as coisas de outra maneira”. Leia a entrevista completa no Jornal da Unicamp.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência