Por que existe vergonha?

Uma série de experimentos envolvendo centenas de voluntários de três cenas culturais diversas – Estados Unidos, Índia e Israel – indica que, em cada cultura, os comportamentos que mais levam uma pessoa a ser mal vista pelo grupo são, também, os que causam mais vergonha em quem os pratica. “Por hipótese, vergonha é um programa neurocomputacional moldado pela seleção natural”, escrevem os autores, dos EUA, Israel e Holanda. “Aqui, testamos a hipótese de que a vergonha, embora desagradável (como a dor) serve à função adaptativa de defesa contra a desvalorização social que resulta da informação negativa que chega a terceiros”. Leia a íntegra da nota, e mais novidades da ciência, no Telescópio do Jornal da Unicamp, que volta depois das férias!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência