Laputa fica em lua de Marte

Leitores das Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, provavelmente se lembram de Laputa, uma ilha que flutuava na atmosfera da Terra, movida a energia magnética, e cujos habitantes haviam descoberto duas luas em Marte -- sendo que o livro foi escrito 150 anos da descoberta real das luas, Fobos e Deimos.

Bem, finalmente os "descobridores" originais das luas ganharam uma homenagem: uma área da superfícia de Fobos foi batizada de Laputa Regio (Região Laputa). Um novo mapa de Fobos aparece na imagem abaixo (clique nela para ampliar!).


Compare com o mapa da Laputa ficcional:



Fobos é o alvo da missão Phobos-Grunt, um ambicioso projeto russo -- que prevê, entre outras coisas, o recolhimento de amostras da lua para serem analisadas aqui na Terra -- cujo lançamento já foi adiado algumas vezes, mas que agora deve sair entre o fim deste ano e o início do próximo.

De "carona" da Phobos-Grunt vão a primeira sonda marciana chinesa, e um experimento biológico da Planetary Society. Como hoje o Inpe faz 50 anos, vou poupar os leitores deste blog de minha usual choradeira a respeito da mediocridade do programa espacial brasileiro em relação a outros países com que gostamos de nos comparar, como Rússia, China e Índia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência