"Magia ao Luar": bom filme, mau cético

Acrítica tem sido meio rabugenta com o filme “Magia ao Luar”, de Woody Allen. Não sen trata, claramente, de uma obra-prima, mas ainda assim é um belo trabalho: simpático, leve e divertido. E, no que é de interesse especial para este blog, protagonizado por um cético combativo, um mágico de palco interpretado pelo grande ator britânico Colin Firth. Leia mais sobre o filme, sua inspiração em personagens reais e seu cético problemático no site da Galileu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência