Câmbio! Tem alguém aí?

Depois de um abril em que estive enrolado com um serviço temporário -- que me manteve saindo de casa às 8h para voltar às 22h -- retorno à paz do desemprego e, com ela, volto a ter a oportunidade de atualizar o blog diariamente (ou quase). Maio é um mês que promete, já que começa com a necrofílica beatificação de João Paulo II e termina com o fim do mundo.

Já  tratei dos dois temas neste blog,aliás. Meus pensamentos sobre o processo de beatificação católico podem ser lidos aqui, e sobre cultos apocalípticos em geral, aqui.

A respeito do falecido papa Wojtyla, só gostaria de chamar atenção para o fato de que o tirano do Zimbábue, Robert Mugabe, um católico devoto, estará presente à cerimônia.

E, também, recordar a profunda admiração de João Paulo II pelo fundador dos Legionários de Cristo, o pedófilo Marcial Maciel, que aparece sendo abençoado pelo novo santo na foto acima.

Comentários

  1. Ouvi no rádio uns 2 dias atrás, numa entrevista sobre o JPII estar virando santo, quando foram mencionados problemas como os que você mencionou acima, que (parafraseando) "o que interessa não é o que ele fez ou não, mas a santidade *interna* da pessoa dele".

    Depois disso, o que mais resta para discutir?

    ResponderExcluir
  2. Confesso que tenho uma relação meio ambígua com essas coisas da igreja católica. Digo, por um lado, o catolicismo é um clube, com seus estatutos e regras, como, digamos, o clube do búfalos d'água do Fred Flintstone ou a Frota Estelar. Nesse aspecto, se os caras querem usar roupas ridículas ou se chamar por títulos engraçados (como "santo", "grande mestre" ou "comodoro") é problema lá deles, e nem eu nem ninguém tem nada que dizer a respeito.

    Por outro lado, os católicos insistem que o estatuto lá do clubinho deles tem, ou deveria ter, aplicação universal. Aí não dá mesmo para ficar quieto...

    ResponderExcluir
  3. Os católicos, os protestantes, os muçulmanos e a turma do "Deus é um só com vários nomes", todos eles acham que as suas regras devem/deveriam ser impostas a todos. Na verdade, muitas delas já o são. E a passagem do tempo faz com que pareça normal.

    ResponderExcluir
  4. Estivessem vivos Hitler e Mussolini também estariam na cerimônia.

    FUCK'U, Godwin!

    ResponderExcluir
  5. É como já dizia os Engenheiros do Hawaii, "O Papa é pop, o Papa é pop, o pop não poupa ninguém; o Papa levou um tiro à queima roupa, o pop não poupa ninguém". Quem quer desenterrar seus mortos que o faça, ta tudo morto mesmo, eu que não rezaria pra um corpo apodrecido que não significa nada.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência