Outdoors ateus em Porto Alegre, graças a Deus!


Depois de uma longa série de rejeições em várias cidades brasileiras, a campanha de outdoors da ATEA finalmente encontrou uma capital civilizada o suficiente para acolhê-la: Porto Alegre. Aí os gaúchos ficam se sentindo superiores ao resto do Bananão, e ninguém entende o motivo. Olha ele aí em cima.

Sei que muita gente torce o nariz para esse ateísmo, digamos, "in your face", exibicionista, loquaz -- estridente, diriam alguns. Amigos cuja opinião respeito queixam-se de que esse "novo ateísmo", ou "ateísmo afirmativo", acaba sendo tão chato, inoportuno, pentelho, etc., quanto o proselitismo religioso. Será que as pessoas não seriam mais felizes se, simplesmente, parássemos de encher o saco uns dos outros com metafísica?

Por mais que eu possa simpatizar com a opinião expressa no parágrafo acima, ela deixa de levar em conta dois fatores -- talvez os fatores -- fundamentais: primeiro, a religião é estruturalmente incapaz de respeitar uma trégua do tipo; ela é invasiva, pervasiva e não tem o menor senso de ridículo ou de boas maneiras (se duvida, dê uma olhada neste tumblr). Segundo, encher o saco funciona. Pergunte ao pentelho-mór do Novo Testamento, São Paulo.

Não se engane: nenhum ateu parte para o ativismo sem prévia provocação. Isso geralmente toma a forma de um momento em que o ateu olha em volta e diz: "Peraí, esses caras estão atrapalhando a minha vida por causa de umas merdas em que eles acreditam".

Ao se dar conta de que essas "umas merdas" são passivamente toleradas, quando não abertamente promovidas, pela sociedade que ajuda a sustentar com os impostos que paga, o ateu pode ser perdoado se decidir entrar em campanha para explicar a seus concidadãos que elas são, ora bolas, merdas.

No caso dos new atheists anlgo-saxões, a gota d'água foi o 11 de Setembro, seguido pela boçalidade da reação cristã conservadora. No meu caso pessoal, foi a decisão da prefeitura de Jundiaí de parar de fornecer um tipo de anticoncepcional nos postos de saúde, depois que o bispo católico local passou um pito no prefeito.

(Se a ideia de ter dogmas medievais ditando políticas públicas de saúde a autoridades eleitas não o assusta, então você está pronto para viver sob o Taleban.)

Resumindo: os ateus teriam mantido suas opiniões no nível do discurso filosófico-acadêmico se a CNBB, o Edir Macedo, a Myriam Rios, o Datena e o Silas Malafaia tivessem feito o mesmo. Pois, para citar um aforismo que já tem lá seus 2.000 anos, "todos aqueles que vivem pela espada, por ela perecerão".

Comentários

  1. É.

    Tem a hora da conversa e tem a hora do confronto. Está mais que na hora de passarmos para o confronto.

    Parabéns aos gaúchos!

    -Daniel Bezerra

    ResponderExcluir
  2. Grande POA! Uma salva de palmas à esta necessária iniciativa!

    ResponderExcluir
  3. Concordo e discordo da sua opinião. :)
    Eu não sou atéia, nem agnóstica, e mesmo assim me sinto incomodada pelas baboseiras religiosas por aí. E eu, o que faço?

    Acho que ateus têm todo o direito, de verdade, de se manifestarem da mesma forma q o povo religioso fanático faz. Mas no fundo, isso não resolve nada, e os coloca no mesmo nível, apenas. Não acho que atacar pra defender se aplica neste caso.

    Eu acho que os protestos deveriam ser mais no sentido de simplesmente parar de "encher o saco uns dos outros com metafísica". Não importa no que você acredita ou não, você não tem o direito de impor isso para os outros. E ponto. Deveriam abrir um processo gigantesco contra esse prefeito imbecil, por exemplo.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Lucimara, cada um na sua aba.

    ResponderExcluir
  5. Chegará o glorioso dia em que os ateus serão queimados em praça pública, junto com os católicos, os que lêem Harry Potter, os homossexuais, os fanáticos, os torcedores dos Santos, os atletas, as moças bonitas e todos aqueles que são diferentes do ideal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VOCÊ JÁ PROCUROU UM PSIQUIATRA? NAÕ! POIS DEVIA, OFENDER A IGREJA MÃE DO CRISTIANISMO, DA QUAL DERIVARAM TODAS AS OUTRAS CONGREGAÇÕES; É MUITA INSENSATEZ.

      Excluir
  6. Meu incômodo não é com os ateus saírem do armário e falarem de seu ateísmo (ou de sua ateidade). Viva aos ônibus ateus.

    O que me parece é que a forma escolhidas para alguns cartazes é desnecessariamente agressiva - como incluir Hitler no meio da conversa.

    Pra uma campanha que prega tolerância aos ateus, tem cara de tiro no pé.

    []s,

    Roberto Takata

    ResponderExcluir
  7. acho engracado q msm em suas "provocacoes" os ateus mtas vezes apenas dizem "nao me encham o saco" - como na mensagem acima [e a qual eu suponho a lucimara deixou escapar]. eqt os religiosos nos fazem engolir coisas goela abaixo.

    pode por favor dar mais detalhes qt às rejeicoes? onde, motivo etc?

    ResponderExcluir
  8. Eu penso dez vezes antes de me pronunciar sobre meu ateísmo. Tenho medo da reação das pessoas.

    ResponderExcluir
  9. Para quem se interessou pelo assunto "confronto versus acomodação", aqui vai um link pra um texto recente, mas já clássico, do PZ Myers:

    http://migre.me/5c94F

    Que contém o parágrafo mais impagável de toda a história do New Atheism:

    "That's where the Gnu Atheists get their confrontational reputation. We're fed up with fighting off the symptoms. We need to address the disease. And if you're one of those people trying to defend superstition and quivering in fear at the idea of taking on a majority that believes in foolishness, urging us to continue slapping bandages on the blight of faith, well then, you're part of the problem and we'll probably do something utterly dreadful, like be rude to you or write some cutting sarcastic essay to mock your position. That is our métier, after all."

    ResponderExcluir
  10. Darkgabi, a história da campanha vc encontra aqui: http://www.atea.org.br/

    Mas, resumindo: em São Paulo, Florianópolis, Salvador, empresas de mídia recusaram-se a veicular a campanha. Em Porto Alegre, a campanha seria originalmente lançada em ônibus, mas dada a recusa da empresa, passou para outdoors.

    ResponderExcluir
  11. O último parágrafo é brilhante! Um fim digno para um texto coerente. Concordo plenamente com a atual manifestação, porque só um lado falar já está chato há tempos.

    ResponderExcluir
  12. sendo gaúcho me sinto envergonhado. mas respeito a todas as crenças inclusive a CRENÇA de que Deus não existe, todos tem direito de se expressar. o ser humano que desde suas raizes mais antigas, se presta a cultos, não irá se abalar com modinhas. que Deus nos de força para superar mais esta perseguição e conseguirmos assim sermos mais fiéis. com a benção de Nsa. Sra.

    ResponderExcluir
  13. Campanha extremamente mal-projetada, e não é meramente ateísta, e sim neo-ateísta, para ser exato. Esse negócio de que "todos são ateus" (falácia do 'ateísmo relativo') não faz o menor sentido, e serve apenas como truque propagandístico. Nenhuma surpresa que os neo-ateus não passem de pseudo-intelectuais, e que sejam considerados "a escória do ateísmo".

    ResponderExcluir
  14. O que seria neo-ateísmo ?

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito do tom da campanha e gostei mais ainda do seu texto: lúcido, inteligente, coerente. O cartaz pareceu bem executado, texto na medida. Já não vou mais à igreja há 21 anos. Até uns 5 anos atrás, não conhecia nenhum ateu. Acho muito curioso o jeito de eles pensarem, porque nós sempre nos remetemos a Deus, quase como um hábito. Gostei muito de conhecer o jeito de ateus pensarem e tenho o maior respeito. Assim como, para mim, é impossível conceber a minha vida sem Deus, por menos racional que tudo isso seja, é absurdo impor Deus a essas pessoas, que não creem. A vivência ou não de Deus é de cada um. Respeitar é fundamental!! Não concordo nem um pouco com a interferência da igreja nas decisões do estado. É uma imposição medieval!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VOCÊ FALA DESTA FORMA PORQUE PERDEU A INTIMIDADE COM DEUS, VOLTE A ORAR E AS TOLICES ACABAM.

      Excluir
  16. Sobre o comentário achando de mau gosto citar Hitler no outdoor: Serve para rebater a ideia "Datenista" de que ateus são malvados e teístas são bons - ilustrando com dois personagens conhecidos de todos e suas respectivas crenças.

    Muitos reclamam que a campanha é agressiva. E é. Esse é o objetivo, dar um tiro pra cima e chamar a atenção de todos pra a situação. Lembro que muitos acharam as fotos dos maços de cigarro agressivas também.

    ResponderExcluir
  17. http://www.youtube.com/watch?v=0NM2cMx58S0

    Vídeo do programa original em que Datena dedica 50 minutos a pregar ódio contra ateus. Postei ontem. Ninguém mostrou ainda esse vídeo, não tinah no youtube nem na Internet. (Vejam a partir de 1 minuto)

    Abraço

    ResponderExcluir
  18. MAS QUE AUDÁCIA!!! A PRIMEIRA VEZ QUE VI UM DE SEUS OUTDOORS BLASFÊMOS, QUASE VOMITEI!!! TAMANHO DESRESPEITO, TAMANHA IGNORÂNCIA E OUSADIA!!! UMA COISA É VOCÊS APENAS COLOCAREM "DIGA NÃO AO PRECONCEITO COM OS ATEUS" (QUE EU NÃO TENHO NADA CONTRA), OUTRA COISA É DEBOCHAR DE DEUS, COLOCANDO "SE DEUS EXISTE, TUDO É PERMITIDO"!!! E DEPOIS SOMOS NÓS RELIGIOSOS QUE NÃO TEMOS RESPEITO!!! DEVERIAM SE ENVERGONHAR, SEUS HIPÓCRITAS!!!

    ResponderExcluir
  19. Caro Carlos,

    A título de curiosidade, informo-lhe que ganhei o processo contra o Datena por seu discurso "ateufóbico". Provavelmente é o primeiro caso no Brasil em que alguém é ocndenado por declarações discriminatórias contra ateus.

    Petição Inicial: http://www.progressosustentavel.com/peticaoinicial.pdf

    Sentença: http://www.progressosustentavel.com/sentenca.pdf

    Vídeo do discurso dele:
    www.youtube.com/watch?v=0NM2cMx58S0

    ResponderExcluir
  20. Lucimara, da forma que você utilizou o verbo manifestar, eu respondo que ateus não se manifestam, pois o ateísmo é a falta de crença religiosa. Talvez a agressividade e o preconceito contra ateus seja devido ao fato de ateus deixarem de fazer o que crentes fazem (rezar) e vivam melhor que crentes(exceto aqueles que se aproveitam do dinheiro do povo religioso, e talvez de todos devido à infeliz ligação de religião com política e de política com corrupção). Pela lógica, ateus são prova de que religião é pior que nada, e se a mesma desaparecer muitos endinherados perderam muitas mordomias, portanto os mesmos inventam desculpas absurdas que são absorvidas pela população, e como a maioria é ignorante e muitos também são estúpidos, a igreja se utiliza de "controle mental" através de "argumentos" estúpidos para controlar a população ignorante para que os beneficiados pela ignorância do povo mantenham-se nas confortáveis posições em que se encontram.

    Brasil, um país de obscenidades e acontecimentos absurdos. Ao escrever esta última sentença me lembrei de uma frase do filme tropa de elite, em que é dita a mais pura verdade. Não por acaso, a mesma se encaixa nesse contexto, e eu repito-a: "É você que financia essa merda!"! O povo só é estúpido demais para perceber ou é covarde demais para admitir o fato.

    ResponderExcluir
  21. cara que discurso mais chato, quer ser ateu porra, seja,deixa de frescura, para de se comportar feito evangélico, querendo que todos aceitem sua opinião. A religião é tão supérflua quanto o ateismo, não existe nenhum dos dois, somos humanos e estamos aqui pra vivermos em comunhão, transando, fazendo amor e repeitando um ao outro o resto e balela, vamos deixar de ismos e evoluirmos.

    ResponderExcluir
  22. pra mim vcs tão entrando na mesma onda das mulheres, negros, índios etc. tão todos se achando injustiçados a toa, querem respeito, direitos etc mas se acham superiores a todos. Hitler também agiu assim, todos viram no que deu...

    ResponderExcluir
  23. Caro Sisenando Calixto,digo-lhe que nada é mais patético que usar a nossa idiota justiça pra ganhar dinheiro, apenas por uma ideia divergente da sua, tanta gente sofrendo injustiça por ai e vc se utilizando dessa porra pra ganhar dinheiro, dois idiotas no pário, vc e nossa justa "injustiça" , vá procurar fazer algo de útil porra. É por isso que é merda ta ai.

    ResponderExcluir
  24. Todos tem o direito de acreditarem ou não no que quiserem. Tolerância é a palavra chave. Antes de ser crente (em Deus) percorri toda uma reflexão filosófica se deveria acreditar ou não, porque acreditar e em que tipo de Deus acreditar. Portanto, nesta jornada, o ateísmo foi também uma possibilidade. Minha conclusão pessoal e intransferível é que sim, Deus existe. Aos ateus, digo uma coisa: nas suas reflexões incluam a hipótese religiosa e busquem a Deus em diferentes visões. Até como mote da própria propaganda acima, às vezes um Deus pode não ser o teu, mas em outro vc pode se encontrar... abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.

      Bem, eu era ateu e cheguei a Deus por via pessoal, não por via científica (até acho essa possibilidade bastante difícil). Talvez eu seja encarado pelos meus amigos ateus como ignorante, apesar deles perguntarem minha opinião sobre assuntos diversos, mas o fato é que não posso deixar de lado minha vida e esquecer minhas experiências.

      O que eu não aturo é o fla-flu cheio de arrogância e desprezo de alguns embates que eu vejo na internet. Dizer que ateus querem o mal ou que metafísicos são burros ou doentes, como já vi por aí, acabará por reduzir todo o gênio humano a um pequeno depósito de idéias com as quais concordamos e só (o que me faz admirar ainda mais as artes e a literatura e seus mergulhos respeitosos e apaixonados pela alma e pelo conhecimento humanos).

      Gostei da iniciativa de Porto Alegre, mas acho que dizer "somos todos ateus", embora logicamente aceitável, seja ofensivo aos teístas e provavelmente não contribua da forma como imagino que os ateus querem, qual seja, afirmar o direito de ser ateu.

      Sérgio Moraes.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência