Debate sobre astrologia: vídeo

No início de novembro, eu e as astróloga Vera Facciollo participamos de um debate sobre a validade da astrologia, em particular -- e das previsões de ano novo, em geral -- promovido pelo iG. Foi um debate curto, de cerca de 15 minutos, então não houve tempo de expandir a argumentação.

A chamada final, feita pela moderadora, para que o público visite o site de previsões esotéricas do próprio iG foi, ao menos para mim, meio que um anticlímax, mas não posso me queixar nem da condução do debate, nem da neutralidade demonstrada pela moderadora durante todo o período a troca de ideias. E por falar em ideias, foi a conversa pré-debate que me levou a pensar na postagem sobre Michel de Gauquelin que publiquei alguns dias atrás, então o efeito de inspiração já valeu a viagem.

Não gosto muito de me ver em vídeo -- sempre tenho a impressão de que estou fazendo careta. Mas, se o leitor caridoso achar que vale a pena, o debate está "embedado" aí embaixo. 

Bem, na verdade, estava, mas fiz uns testes e vi que a tela só passava um (longo) comercial e travava na hora do debate em si. Então, deixo aqui o link para a fonte original.

Comentários

  1. Realmente o comentário final da moderadora foi bem bizarro. Mas o debate foi bem legal. Parabéns. Sempre é bom manter a calma neste tipo de debate, sem passar uma ideia de superioridade ou arrogância.

    ResponderExcluir
  2. Faltou porrada. A apresentadora é um pouco fraca. O olhar inicial, no momento da apresentação, foi matador. Rs Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Muitos se baseiam nas deturpações da astrologia para julgá-la, e se esquecem do principal: ver no dia a dia, em si mesmo, no convívio das pessoas, o que a autêntica astrologia mostra, tão claro quanto qualquer experimento físico.

    ResponderExcluir
  4. Achei um absurdo a astróloga falar em “estatística de milênios”, que comprovariam os acertos das previsões da astrologia... Que eu saiba, métodos estatísticos, séries estatísticas ou algo que o valha são recentes, talvez de no máximo 500 anos. Milênios? Onde está isso? O debate é uma prova de o quanto é difícil demover alguém que está mergulhado, que construiu a sua reputação e sua própria autoimagem em cima de coisas que necessitam de fé e explicações apelativas... Aquele recurso de dizer que os astrólogos usam cálculos baseados em informações da Nasa, raios tetas etc. e que “a ciência ainda vai comprovar” é de chorar. Lembrei o tempo todo do livro do Sagan, O Mundo Assombrado pelos Demônios...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência