Livros! Livros!

Foi lançada oficialmente, no início do mês, a coletânea de contos Swords v. Cthulhu, publicada no Reino Unido pela editora independente Stone Skin Press. Como o título sugerem trata-se de uma coleção de histórias lovecraftianas passadas em cenários de capa-e-espada, incluindo o universo das Dreamlands (o mundo de fantasia criado pelo próprio Lovecraft) a períodos históricos, digamos "reais" do nosso universo.

O livro contém um conto meu, The Argonaut, que foi basicamente inspirado na sequência das viagens de Simbad das Mil e Uma Noites. O blog Soft Disturbances vem realizando uma "maratona de leitura" do livro, resenhando-o, praticamente, conto a conto.

E no início desta semana publiquei, pela plataforma de print-on-demand da Amazon.com, a Create Space, a esperada (oi? alguém?) edição em papel do meu Livro da Astrologia, que já estava disponível em versão e-book desde o fim do ano passado. O site nacional da livraria, Amazon.com.br, deve passar a oferecer a versão em papel em breve (e com o preço em reais, não dólares), também. 

Aqui, imagino, seria o momento de eu me lançar num longo rant sobre por que diabos é tão mais fácil um escritor brasileiro (eu, no caso) conseguir ser publicado -- com perspectiva realista de remuneração!-- por uma editora nanica inglesa ou por megacorporação americana, apontada por muita gente que vive de livros no Brasil como a maior ameaça à cultura nacional(r) desde que Carmen Miranda passou a cantar em inglês, do que por alguma editora brasileira. 

Basicamente, somando as vendas do Livro da Astrologia como e-book para Kindle ao adiantamento que a Stone Skin me pagou por Argonaut, no último semestre ganhei mais, como escritor, do que em toda minha década pregressa de carreira literária. Mas, enfim. O melhor que podemos fazer, pessoas e empresas, é nos virar de acordo com as circunstâncias. Espero que quem lê inglês e curte meu trabalho como ficcionista dê uma chance para Sword, e quem tinha curiosidade com Astrologia, mas relutava em aderir ao e-book, possa se arriscar nessa edição em papel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência