Assembleia Estelar vem aí

Está previsto para fevereiro o lançamento da antologia de ficção científica de temática política da editora Devir, Assembleia Estelar, que contém, entre outros, o meu conto Questão de Sobrevivência. Essa história foi uma das favoritas entre os leitores que tiveram contato com a minha antologia Tempos de Fúria, lançada em 2005 pela Novo Século.

Ela descreve as manobras políticas que um líder de sem-teto é  levado a fazer para navegar entre as vaidades do partido a que seu acampamento é ligado e as necessidades reais dos moradores do lugar. Num tom mais ou menos profético, a narrativa, escrita em 1999, se passa alguns anos depois da "guerra dos morros do Rio".

(Escrever ficção científica às vezes não requer muita coisa além de enxergar o óbvio. Se você ficou curioso a respeito do conto, sugiro que adquira o Assembleia e ajude o Orsi a pagar o condomínio, já que não recebo nenhum tostão furado pelas vendas da Novo Século -- é do contrato, não reclamo, apenas constato.)


Acrescento, para que a coisa não fique com muito jeito de comercial descarado, que não sou lá muito fã das capas do selo Pulsar -- de ficção científica -- da Devir (e, não, essa ressalva não é motivada pelo fato de minha pessoa ter sido relegada à condição de "e outros" nos créditos principais). Elas, no geral, me lembram alguns dos momentos menos memoráveis da antiga coleção de ficção científica da Francisco Alves, como por exemplo:


Mas, enfim, gosto é gosto, e se o conteúdo é bom e os livros encontram seu público, creio que pouco mais importa. No caso do Assembleia,  há alguns pesos-pesados no elenco, com destaque para Ursula K. LeGuin. E se o conto do Roberval Barcellos for o que estou pensando que é, só ele já vale o ingresso.

Assim que tiver mais detalhes sobre o lançamento, aviso.

Comentários

  1. "E outros" foi de lascar :-(

    Mas "Questão de Sobrevivência" é um dos teus contos de que eu mais gosto. Parabéns pela publicação.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência