Os borgs entram no debate sobre a ditadura brasileira



Desculpe a irrelevância do tema, mas o fato é que nesta sexta-feira o ilustre jurista Ives Gandra usa os borgs de Jornada nas Estrelas como metáfora, em um artigo publicado na Folha de S. Paulo em que se manifesta contrário à abertura de investigações sobre os crimes da ditadura brasileira de 1964-1985.

A ideia geral é a de que os alienígenas cibernéticos que se espalham pela galáxia assimilando -- isto é, convertendo em criaturas iguais a eles mesmos -- os demais povos podem ser vistos como uma metáfora das ideologias de esquerda, que estariam tentando "assimilar" a história brasileira.

É uma leitura interessante, mas cá para mim me pôs a pensar: se os borgs representam um grupo dentro da história humana, que grupo seria esse? Seriam os comunistas realmente bons candidatos? Não nego que o marxismo tenha aspirações "borgianas", por assim dizer, mas elas me parecem muito mal realizadas. Até onde se sabe, a Coreia do Norte não está assimilando muito bem os vizinhos.

Foi então que tive uma epifania: qual ideologia realmente se espalhou de forma epidêmica pelo mundo, esmagando toda oposição, assimilando os heróis dos inimigos (como os borg tentaram fazer com o capitão Jean-Luc Picard), reescrevendo a história em benefício próprio e, no geral, convertendo parte significativa da população, reduzindo de forma drástica a pluralidade de culturas?  Mas é óbvio!

Os borgs não são os comunistas. Os borgs, ora bolas, são os cristãos.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência