Urano, 25 anos atrás


A imagem acima é o crescente do planeta Urano, fotografado pela sonda Voyager 2. Essa nave foi o único artefato humano a visitar o planeta, o que aconteceu há 25 anos -- em 24 de janeiro de 1986. Com cerca de 500 planetas já descobertos fora do sistema solar, às vezes é fácil esquecer como os nossos vizinhos são pouco conhecidos.

Urano foi o primeiro planeta descoberto por telescópios e não por observação a olho nu do céu. Foi encontrado por William Herschel em 1781. Hoje em dia, com o Telescópio Espacial Hubble produzindo imagens de galáxias localizadas quase na aurora dos tempos, é difícil imaginar o tamanho do impacto que a descoberta de Urano causou.

Herschel inicialmente imaginara ter encontrado um novo cometa, e apenas após uma série de observações acabou convencendo-se de que havia achado um planeta, além da órbita de Saturno. Nas palavras dos astrônomos Roger Culver e Philip Ianna, "em uma noite, Herschel expandiu as fronteiras do sistema solar em mais de 1 bilhão de quilômetros!".

Urano tem anéis, também descobertos pela Voyager 2, e um sistema de mais de 20 luas, todas batizadas com nome de personagens de peças de Shakespeare.

As duas primeiras, Oberon e Titânia, foram encontradas pelo próprio Herschel. Outras três -- Ariel, Umbriel e Miranda -- foram avistadas entre o  século XVIII e 1948. A Voyager 2 descobriu mais dez, e o Hubble também achou um punhado (a lista mais recente, obtida no site da Nasa, você vê ao lado).

Urano tem a peculiaridade de ter o eixo de rotação inclinado em quase 90° em relação ao equador. O planeta literalmente rola, e não gira, em torno de si mesmo. Especula-se que esse "entortamento" foi causado por uma colisão com um astro do tamanho da Terra (nunca é demais lembrar que a Lua provavelmente foi criada a partir da colisão da Terra com um astro do tamanho de Marte).

A imagem abaixo foi feita pelo Hubble e mostra a posição deitada de Urano, com seus anéis e algumas de suas luas. As cores da imagem representam faixas do espectro infravermelho, e não a cor real do planeta.


Urano aparece azul para o olho humano, por conta do metano presente em sua atmosfera. Diferentemente de Saturno e Júpiter, Urano não é um gigante gasoso, mas um gigante gelado: 80% de sua massa está concentrada num núcleo líquido de água, metano e amônia. A imagem abaixo, colorida de forma a representar como Urano aparece em luz visível, mostra o planeta fotografado pelo Hubble, com a lua Ariel projetando sua sombra no disco planetário:



Atualmente, cientistas ligados à Agência Espacial Europeia (ESA) e colegas da Nasa buscam apoio para lançar uma missão ao planeta, a Uranus Pathfinder. Essa missão precisaria de geradores nucleares para funcionar, já que Urano -- 19 vezes mais distante do Sol que a Terra -- fica longe demais para que energia solar seja uma solução viável. A sonda passaria ainda vários anos em trânsito.

Em homenagem aos 25 anos da visita da Voyager 2 ao planeta, a Nasa preparou uma galeria com as cinco melhores imagens da passagem da sonda por Urano, e que inclui alguns close-ups da lua Miranda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência