Casamento galáctico, cortesia de Hubble e Chandra


A imagem acima é um composto de dados de raios X obtidos pelo Observatório Espacial Chandra e de luz visível captada pelo Hubble. Ela mostra o que resta da colisão de duas galáxias.

Explica a nota da Nasa: "Arp 147 contém os vestígios de uma galáxia espiral (direita) que colidiu com a galáxia elíptica à esquerda.

"A colisão produziu uma onda crescente de formação de estrelas que aparece como o anel azul contendo uma abundância de jovens estrelas de grande massa. Essas estrelas percorrem rapidamente sua evolução, e em poucos milhões de anos explodem como supernovas, deixando para trás estrelas de nêutrons e buracos negros".

Ainda de acordo com a agência espacial, os nove "rubis" (ou ametistas, já que não são intensamente vermelhos) do anel são fontes de raios X alimentadas pela energia de buracos negros, cada um com até 20 vezes a massa do Sol.

Que tal isso como anel de noivado?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência