Perfuração do lago Vostok para a 29,53 metros


A revista Nature acaba de informar, via Twitter, que a perfuração rumo ao Lago Vostok -- um dos últimos ambientes isolados da Terra -- foi interrompida no último dia, 5 quando faltavam 29,53 metros. O Vostok fica relativamente perto do polo sul. Eu já bloguei sobre o lago, mas abaixo vai um pouco de background:

Com uma área de 15.000 km² -- o tamanho aproximado do País de Gales -- e uma profundidade máxima de cerca de 800 metros, o lago fica a 1.300 km do polo sul. O lago está isolado do resto do mundo há 15 milhões de anos, mas (diz a Wikipedia) é possível que o lento deslocamento da capa de gelo da Antártida faça com que a água do lago seja trocada a cada 13 mil anos.


Um dos principais objetivos da perfuração é, claro, procurar por sinais de vida, presente ou passada. Uma massa de água isolada por gelo há milênios é a situação existente, por exemplo, em Europa, uma lua de Júpiter tida como candidata a abrigar vida.

A perfuração foi interrompida por conta da aproximação do inverno antártico. O trabalho deve ser retomado em dezembro.

(A imagem acima é uma foto de satélite feita pela Nasa)

Comentários

  1. Muito legal isso aí. Quais as formas de vida exitem lá embaixo? Se existirem, qual o efeito que causariam na vida na superfície se fossem libertados?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência