O Sol é visto em 360º pela primeira vez

Você talvez nunca tenha pensado nisso, mas é impossível para nós, na Terra, ver o Sol inteiro de uma vez. A razão é a mesma que nos impede de ver o rosto e as costas de uma pessoa ao mesmo tempo: o ângulo de visão disponível é obviamente limitado àquilo que está voltado para nós.

No caso de uma pessoa, é relativamente fácil (embora nem sempre seja prático) posicionar espelhos e câmeras de forma superar essa limitação. No caso do Sol, é um pouco mais difícil -- mas o primeiro retrato simultâneo frente-e-verso do Astro Rei foi finalmente produzido, e deve ser divulgado nas próximas semanas.


As duas "meias laranjas" do retrato acima (que é a imagem do dia da Nasa) são dois hemisférios do Sol vistos simultaneamente a partir de dois pontos de vista separados por praticamente 180°. Foram obtidas no fim de janeiro pelo par de satélites Stereo, lançado em 2006.

A missão da dupla Stereo é permitir que cientistas estudem o Sol por inteiro. Enquanto uma característica importante da superfície solar -- uma mancha escura ou uma erupção de energia, por exemplo -- some do ângulo de visão de um dos satélites, o mesmo fenômeno entra na lente do outro, o que permite acompanhar o desenrolar integral da atividade.

Como ambos os satélites giram em torno do Sol em diferentes órbitas e velocidades, o ângulo de separação entre eles aumenta e diminui ao longo do tempo. Essa separação chegou a 180° no domingo, dia 6, o que vai permitir que a faixa escura no retrato acima seja preenchida, gerando uma mapa integral de 360° do Sol, que deve ser divulgado em breve. A animação abaixo é uma extrapolação feita a partir dos dados na imagem acima:

video

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência