Livro proibido de Galileu faz aniversário



Via Twitter, o @PhysicsNews informa que hoje é aniversário da publicação de Diálogo sobre os Dois Máximos Sistemas do Mundo, de Galileu Galilei. Lançado em  fevereiro de1632 (ou seja, há 379 anos), o livro teve sua distribuição sustada pelo papa Urbano VIII alguns meses mais tarde, e foi posto no índice de obras proibidas da Igreja Católica em 1633, da onde só foi removido em 1835.

É nesse livro que Galileu apresenta seus argumentos a favor do sistema heliocêntrico, num diálogo entre Salviati (filósofo seguidor de Copérnico), Simplicio (filósofo seguidor de Aristóteles e Ptolomeu) e Sagredo (um espectador neutro). Por conta desse livro, Galileu foi condenado por heresia e mantido em prisão domiciliar até o fim da vida.

Algumas tentativas de fazer a Igreja parecer um pouco menos obscurantista no episódio tentam jogar a culpa do desenlace sobre Galileu, que teria sido pouco político ao construir o personagem de Simplicio -- nessa ótica, a condenação do livro e do autor não seria uma condenação da ciência, mas sim da falta de tato em expô-la.

De qualquer forma, a Igreja Católica só passou a autorizar a discussão, em material impresso, de ideias heliocêntricas em 1822. Isso foi cerca de uma década antes da confirmação experimental da paralaxe estelar -- uma aparente mudança na posição de objetos no céu causada pelo movimento da Terra em torno do Sol -- mas um século depois da explicação da "aberração da luz", um fenômeno em que a luz de um corpo celeste parece vir de um ponto diferente de sua origem real, também causado pelo movimento da Terra, como exemplifica a imagem abaixo, vinda da Wikipedia (em resumo, o movimento do telescópio, que se desloca pelo espaço junto com a Terra, faz com que a luz, originária do ponto 1, pareça vir do ponto 2):



Antes disso, em 1664, o papa Alexandre VII havia confirmado, por meio de bula, a condenação de "todos os livros que ensinam o movimento da Terra em torno do Sol".

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência