'Milagre do Sol' em Estocolomo


A foto acima foi escolhida a Imagem Astronômica do Dia pela Nasa, e com boa razão. Trata-se de um halo solar visto sobre Estocolmo, capital da Suécia. Halos surgem quando cristais de gelo na atmosfera refratam a luz do Sol, atuando como uma lente aplicada sobre o astro.

Além do halo, a imagem -- feita pelo fotógrafo Peter Rosén, que é o detentor do copyright -- traz ainda dois parélios, ou "falsos sóis". Parélios são conhecidos há milênios. O filósofo grego Aristóteles já os descrevia, anotando, em sua Meteorologia, que “falsos sóis são vistos sempre ao lado do Sol, nunca acima ou abaixo”.

E, realmente, parélios sempre aparecem à direita e à esquerda do Sol, na mesma altura do astro e afastados dele por uma distância angular de 22°. Há uma descrição mais detalhada (em inglês) de como ocorre a formação do parélio aqui.

Uma curiosidade histórica: parélio e halo solar estão entre as explicações sugeridas para dar conta do chamado "milagre do Sol" avistado em Fátima, Portugal, em 13 de outubro de 1917.

As pessoas presentes ao "milagre" descreveram uma série de alterações no Sol -- ele parecia "girar", "lançar raios" e até "cair sobre a Terra" -- mas nenhuma alteração astronômica foi observada em nenhuma outra parte do mundo, o que sugere que as testemunhas viram um fenômeno limitado à atmosfera terrestre (e às suas imaginações excitadas, claro).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência