'Sucata' soviética vira plataforma de turismo espacial



O ex-astronauta da Nasa Leroy Chiao -- um veterano de três voos de ônibus espacial e que comandou a Estação Espacial Internacional (ISS) entre outubro de 2004 e abril de 2005 -- encontrou uma forma de reduzir drasticamente os custos de pesquisa, desenvolvimento e testes de veículos para turismo espacial: comprar material já testado e usado pelo programa espacial soviético.

A empresa de turismo espacial de Chiao, a Excalibur Almaz, adquiriu cápsulas e módulos da tecnologia Almaz ("Diamante") desenvolvida pela União Soviética para missões militares de observação da Terra. Uma espécie de satélites espiões tripulados, três estações do programa Almaz chegaram a ser usadas, sob a cobertura do programa civil Salyut. Integraram "secretamente" o Almaz as Salyuts 2, 3 e 5 -- a foto acima é da Salyut 3.

Do material comprado por Chiao, fazem parte dois módulos de estação espacial que jamais tiveram  a oportunidade de sair da Terra e quatro cápsulas para astronautas, uma das quais já passou pelos rigores do espaço e da reentrada na atmosfera. "Queremos usar coisas que já foram testadas e provadas", disse o astronauta à NewScientist.


De acordo com nota à imprensa divulgada na última semana pela Excalibur, os módulos serão alvo de pesquisa e, depois, poderão ser completados e lançados em órbita. Num tom mais sóbrio, a empresa reconhece que "não é economicamente viável sustentar estações espaciais em órbita antes que a companhia atinja uma taxa de seis ou mais  voos ao ano".

Além de turistas, a empresa espera ter entre seus clientes cientistas, universidades e governos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Fosfo da USP" volta a dar chabu em testes oficiais

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência